Porque é importante fazer Massagem Perineal antes do parto?


Sabia que durante o parto fisiológico (vaginal), o Períneo pode alongar entre 3 a 4x mais que o normal?
Sim, é normal que isto aconteça pois temos hormonas que são segregadas durante a gravidez e no parto, para que os nossos tecidos se tornem mais flexíveis e permitam que isso aconteça.
No entanto, o parto vaginal encontra-se associado a algum “trauma” do nosso Períneo (também denominado Pavimento Pélvico) que poderá ser mais considerável em casos em que ocorram lacerações significativas.


Atenção!
É importante que todas as mulheres saibam que a laceração é comum durante o parto, permitindo a passagem do bebé e, na sua grande maioria, não resulta numa alteração funcional relevante do nosso Períneo. Existem, porém, formas de prevenir e reduzir esta probabilidade de laceração ou, por outro lado, de preparar os músculos do Períneo para o momento do parto.


De que forma podemos preparar o Períneo para o parto?


Artigos científicos demonstram que a realização da massagem perineal promove o aumento da elasticidade dos tecidos do nosso Períneo, que ajudará a reduzir o trauma perineal durante o parto, seja por laceração significativa ou pela necessidade de se realizar uma episiotomia (“corte” instrumentalizado). Claro que um dos fatores mais relevantes é o tipo de parto que irá ter, o apoio adequado ao períneo na fase da expulsão do bebé, a liberdade de movimentos nas posições adotadas, bem como a individualidade de cada corpo.
No entanto, esta massagem revela-se bastante importante principalmente em mulheres que vão ser mães pela primeira vez (primíparas), mas também quem tem cicatrizes prévias não tratadas de um parto e que desenvolveram algum tipo de sintomatologia (dor ou falta de sensibilidade na cicatriz e região), com o objetivo de tratar e não exacerbar estes sintomas no futuro.
Ela pode ser associada a alguns exercícios de contração e de alongamento desses mesmos músculos que ajudarão a mulher a ter uma melhor perceção sobre o seu corpo, aumentando o autoconhecimento de um local tão importante nesta fase, empoderando-a e dando-lhe mais confiança para o momento do parto.
Apesar de o grande objetivo ser a redução da incidência de episiotomias e lacerações perineais, a massagem também irá facilitar uma melhor cicatrização dos tecidos relacionando-se com menor dor perineal no pós-parto.


Quando deve iniciar a massagem perineal?


Recomenda-se que deva ser iniciada no final da gravidez, a partir da 34º semana de gestação, desde que não exista nenhuma contraindicação para a realizar. Normalmente, não existindo impedimento para a mulher ter relações sexuais, também não haverá problema em preparar o períneo para o parto. No entanto, se tiver dúvidas, deve aconselhar-se com o/a médico/a que a acompanha.


Além da massagem perineal, que mais posso fazer?


A respiração lenta e profunda também é uma aliada na indução do relaxamento dos músculos perineais juntamente com alguns exercícios de mobilidade e posturas de alongamento, que a irão preparar e auxiliar no momento do parto. No entanto, apesar deste ensino prévio de respiração e de algumas posturas que pode adotar, quero salientar que cada corpo é um corpo não existindo nenhum protocolo ou regra especifica, por isso, no momento do parto, deve ter liberdade de movimento e “ouvir” o seu corpo para fazer o que sentir ser o melhor naquele momento.

Exercícios de Pilates Clínico e Exercício Terapêutico Pré-Natal também irão ajudar a Grávida na aprendizagem de posturas, de movimentos que promovam a mobilidade da pélvis e o alongamento muscular da região pélvica bem como algumas estratégias a adotar para diminuir a dor lombar associada à gravidez.

Volto a salientar que não somos todas iguais e cada corpo é um corpo, principalmente com a grande mudança que está a acontecer a cada dia que passa, por isso todos os exercícios devem ser adequados a cada uma de forma individualizada e em função do trimestre em que se encontra.

Se gostava de esclarecer dúvidas, avaliar o seu Pavimento Pélvico, saber realizar massagem perineal ou simplesmente ter uma conversa franca sobre este tema, saiba que pode contar comigo. Estarei na Fisiclinic à sua espera para uma consulta de Fisioterapia Uroginecológica.



Espero que tenha gostado deste artigo e que tenha contribuído para o melhor esclarecimento relativamente ao meu trabalho clínico.

Cá a(o) espero na Fisiclinic!


Ana Pacheco
Fisioterapeuta Uroginecológica na Saúde da Mulher