Fibrose é o nome dado ao tecido cicatricial produzido em excesso e depositado de forma desorganizada após a agressão cirúrgica.
A fibrose é constituída maioritariamente por colagénio e, por isso, é um tecido muito rígido que pode ser sentido ao toque, podendo ter forma de nódulo, cordão ou placa endurecida.


Por ser um tecido rígido e sem flexibilidade, a sua mobilidade e a dos tecidos circundantes fica comprometida, limitando a circulação linfática, o que resulta na congestão local, provocando edema, dor e limitação de movimentos.

É, por isso, muito comum que utentes submetidos a lipoaspiração ou lipoabdominoplastia e que não realizaram fisioterapia dermatofuncional no seu pós-operatório, apresentem um abdómen endurecido, constantemente “inchado”, com irregularidades, zonas dolorosas, sensação de ardor e limitação de movimento ou sensação de “repuxamento”.


Mas, porque se desenvolve a fibrose?


Para que ocorra a cicatrização, os tecidos agredidos durante a cirurgia inflamam e libertam um soro rico em proteínas (sobretudo colagénio) e células inflamatórias, tal como quando temos uma ferida na pele.

A formação de novo colagénio na zona intervencionada é essencial para o ótimo processo de cicatrização, uma vez que este colagénio vai voltar a “unir” os tecidos.

Caso este processo inflamatório seja exacerbado, pela grande dimensão da área intervencionada, ou por ter realizado tratamentos inadequados na reabilitação pós-operatória, por maus cuidados no domicílio, ou até por falta de compressão, ou pelo uso inadequado de malha compressiva, este processo inflamatório é prolongado e pode intensificar-se e, consequentemente, prolongar a fase de criação de fibras de colagénio (fase proliferativa), originando a fibrose.


É possível tratar a fibrose?


Sim, é possível tratar a fibrose!

O melhor tratamento passa pela prevenção e intervenção precoce por parte da fisioterapia dermatofuncional especializada em pós-operatório, de forma a controlar o processo inflamatório e proliferativo, a promover a reabsorção do edema e a reorganização das fibras de colagénio já existentes no tecido.


Em que consiste o tratamento da fibrose?


O tratamento da fibrose começa pela prevenção, com a aplicação precoce de técnicas de drenagem linfática manual. No caso de a fibrose já estar instalada, damos preferência à utilização de técnicas de mecanobiomodulação (técnicas manuais de libertação do tecido respeitando a fisiologia das células) e de mobilidade tecidular.
Em todas as técnicas aplicadas, o essencial é respeitar o processo e a fase de cicatrização dos tecidos.


A compressão também tem um papel importante tanto na prevenção como no tratamento da fibrose. Deve ter o cuidado de não utilizar uma malha compressiva muito larga, que não exerça a compressão necessária, nem uma malha demasiado apertada, que possa causar dobras e garrotear a zona. Veja o artigo sobre Malha Compressiva.

Na fotografia partilhada podemos identificar zonas com mais volume perto da cicatriz tratando-se de fibrose. As “riscas” amareladas devem-se à presença de edema  distribuído de forma irregular pela má colocação de mentoneira.



Na Fisiclinic encontrará uma equipa com formação específica em fisioterapia no pós-operatório de cirurgia plástica, assim como em tratamento de fibrose e lipoaspiração HD.


Espero que estas dicas o/a ajudem a recuperar mais rapidamente! :)

Elisa Quintela
Fisioterapeuta Dermatofuncional Especialista em Pós-operatório de Cirurgia Plástica